Um dos primeiros diretores de cinema da história, o ilusionista Georges Méliès é homenageado hoje (3/5) pelo Google, com o primeiro Doodle interativo em realidade virtual (RV)/ 360º criado pela empresa. O curta tem pouco mais de dois minutos, uma animação que faz referência a diversos filmes de Méliès, conhecido por usar seus truques como ilusionista ao criar mundos fantasiosos, de viagens à Lua até passeios pelo fundo do mar.

O curta pode ser assistido como um vídeo 360º ou com os óculos de realidade aumentada através do aplicativo Google Spotlight Stories. Além do app e do Google Doodle, participaram da elaboração o Google Arts & Culture e a Cinémathèque Française. No site atap.google.com/spotlight-stories/melies, há mais detalhes sobre Méliès e a homenagem, incluindo curtas e fotos raras que marcaram a história do cinema.

Nascido em Paris (França) em 1861, Marie Georges Jean Méliès tinha uma carreira como ilusionista consolidada quando compra de seu vizinho (Auguste Lumière) um cinematógrafo, aparelho que havia inventado. Méliès fica fascinado com a possibilidade de criar cenários e situações impossíveis de fazer no palco do teatro, como cabeças separadas do corpo – que ele usa em vários de seus mais de seiscentos curtas-metragens. O mais celebrado é “Viagem à Lua”, de 1902, tratado como o primeiro filme de ficção científica. No fim da vida, com grande concorrência de outros realizadores de cinema e falido, derreteu boa parte dos filmes para vender a celulóide – uma perda inestimável para a história do cinema. Falece em 1938, aos 76 anos, em Paris. Ainda que não tenha sido o primeiro, Méliès é considerado por muitos o primeiro grande diretor, homenageado mais recentemente no livro “A Invenção de Hugo Cabret”, de Brian Selznick, transformado em filme em 2011 por Martin Scorsese.

Comentários