“Not Without My Sister” é escrito por três irmãs – Kristina, Celeste e Juliana – que cresceram no culto religioso conhecido na época como “Os Filhos de Deus”.

Embora eu soubesse que existiam cultos religiosos/extremistas, especialmente na era hippie do sexo livre, drogas e experimentação, devo dizer que realmente não esperava que a verdade estivesse na escala que era.

Eu também não estava por perto quando “The Children of God” ganhou a atenção da mídia no Reino Unido e passou por processos judiciais, então não tinha ideia sobre este livro ou sobre o culto em si antes que uma recomendação aleatória na internet me despertasse o interesse pela leitura.

Antes que embarque nessa, devo avisá-lo: este é um livro muito difícil de ler. Não por causa do ritmo, do vocabulário ou de qualquer outro fator literário, mas puramente por causa do conteúdo.

Sem entrar em muitos detalhes, as três garotas nasceram no culto, então não conheciam outro modo de vida. Elas foram sujeitas a experimentos durante toda a sua criação – não experimentos científicos, mas experimentação em disciplina e educação.

Os membros do culto são, essencialmente, submetidos a lavagem cerebral em acreditar que seu líder, David Berg, é um profeta, e suas profecias eram a palavra de Deus, que eles devem seguir. Quando essas profecias envolvem surras severas, incesto, sexo entre adultos e crianças, etc., você pode imaginar o resultado devastador para as crianças que vivem nesse meio.

Às vezes é possível chorar lendo esse livro. Às vezes é possível ficar com muita raiva lendo esse livro. Ficar confuso também é bem provável. É possível sentir quase todas as emoções que puder pensar. Como tantas crianças podem estar sujeitas a esse abuso extremo? Como essas pessoas viveram com elas mesmas depois do que fizeram e como um país desenvolvido, politicamente correto, não interveio e acabou com o sofrimento? Como a organização ainda está operando? É preciso fechar o livro muitas vezes e se permitir respirar para não ser tomado pelo ódio crescente e pela melancolia.

Em contrapartida, o livro te deixa querendo aprender mais. Mais sobre Os Filhos de Deus, ou A Família Internacional, como eles são agora conhecidos, bem como mais sobre esse comportamento de culto extremo. É difícil entender como tantas dezenas de milhares de pessoas podem sofrer lavagem cerebral para acreditar em coisas tão ridículas e viver suas vidas como elas fazem neste livro.

Em um nível literário, o livro é muito bem escrito – tudo é explicado completamente e ritmado perfeitamente. A única coisa negativa está no final, já que as garotas (bem, na verdade agora são mulheres jovens, realmente) envelhecem e suas histórias ficam mais difíceis de seguir.

Como cada capítulo intercala entre as meninas, é possível ficar confuso sobre quem era quem. Não ajuda que as três meninas tenham vidas muito agitadas – viajando e se movendo constantemente pelo mundo todo. É preciso levar alguns segundos no começo de cada capítulo para pensar: “certo, este capítulo é Juliana, onde nós paramos com ela? Onde no mundo ela está agora?”

No geral, embora seja difícil marcar este livro como “agradável” devido ao conteúdo, é super recomendado para qualquer pessoa interessada em psicologia, sociologia, religião, cultos, extremismo e afins.

Por favor, esteja ciente de que o livro é MUITO gráfico e detalhado em termos do abuso físico, emocional e sexual que as meninas encontram quando crianças. Leia o livro com cautela. Talvez não seja indicado ler no ônibus ou metrô, senão você tem que gastar muito tempo fazendo exercícios de respiração profunda, esperando que não chore na presença de terceiros.

A DIFÍCIL MISSÃO DE LER NOT WITHOUT MY SISTER
4.7Pontuação geral
CAPA
REVISÃO
DIAGRAMAÇÃO
ORIGINALIDADE
PERSONAGENS
DESENVOLVIMENTO

Comentários